"A liberdade de imprensa é a permissão de qualquer aleijado bater-se com um professor de esgrima." (Luís da Câmara Cascudo)

Da autonomia em política - Cornelius Castoriadis

A filosofia não é filosofia se não expressa um pensamento autônomo. Que significa autônomo? Isto é autônomo, "que se dá a si mesmo sua lei". Em Filosofia, está claro: dar-se a si mesmo sua lei, quer dizer estabelecer as questões e não aceitar autoridade alguma. Pelo menos a autoridade de seu próprio pensamento prévio.

O poder na era das redes sociais

A comunicação de masas é aquela que tem o potencial de chegar ao conjunto da sociedade e é caracterizada por uma mensagem que vai de um a muitos, com interatividade inexistente ou limitada. Autocomunicação de massas é aquela que vai de muitos para muitos, com interatividade, tempos e espaços variáveis, controláveis.

Hayek contra Keynes: o debate do século

As linhas divisórias que hoje cruzam pensamento econômico devem muito a este debate. Por exemplo, a análise do papel do Estado e da política na gestão econômica depende essencialmente desta polêmica.

O Califado contra o resto do mundo

Quem ganha e quem perde com o novo realinhamento geopolítico no Médio Oriente?

Colapso do petróleo e do sistema financeiro ameaça expropriar os fundos de pensão

Desde os resgates bancários de 2008 houve um debate produtivo sobre a necessidade de mudar o sistema e evitar os monstros bancários "grandes demais para falir", que tiveram que ser resgatados pelos governos.

sábado, 8 de outubro de 2011

Frei Betto: Adeus Europa


“Lembram-se da Europa resplandecente dos últimos 20 anos, do luxo das avenidas do Champs-Élysées, em Paris, ou da Knightsbridge, em Londres? Lembram-se do consumismo exagerado, dos eventos da moda em Milão, das feiras de Barcelona e da sofisticação dos carros alemães?
____________________________________________________
Frei Betto
Por Frei Betto, em “Adital”
Tudo isso continua lá, mas já não é a mesma coisa. As cidades europeias são, hoje, caldeirões de etnias. A miséria empurrou milhões de africanos para o velho continente em busca de sobrevivência; o Muro de Berlim, ao cair, abriu caminho para os jovens do Leste europeu buscarem, no Oeste, melhores oportunidades de trabalho; as crises no Oriente Médio favorecem hordas de novos imigrantes.
A crise do capitalismo, iniciada em 2008, atinge fundo a Europa Ocidental. Irlanda, Portugal e Grécia, países desenvolvidos em plena fase de subdesenvolvimento, estendem seus pires aos bancos estrangeiros e se abrigam sob o implacável guarda-chuva do FMI.
O trem descarrilou. A locomotiva –os EUA– emperrou, não consegue retomar sua produtividade e atola-se no crescimento do desemprego. Os vagões europeus, como a Itália, tombam sob o peso de dívidas astronômicas. A festa acabou.
Previa-se que a economia global cresceria, nos próximos dois anos, de 4,3% a 4,5%. Agora o FMI adverte: preparem-se, apertem os cintos, pois não passará de 4%. Saudades de 2010, quando cresceu 5,1%.
O mundo virou de cabeça para baixo. Europa e EUA, juntos, não haverão de crescer, em 2012, mais de 1,9%. Já os países emergentes deverão avançar de 6,1% a 6,4%. Mas não será crescimento homogêneo. A China, para inveja do resto do mundo, deverá avançar 9,5%. O Brasil, 3,8%.
Embora o FMI evite falar em recessão, já não teme admitir estagnação. O que significa proliferação do desemprego e de todos os efeitos nefastos que ele gera. Há hoje, nos 27 países da União Europeia, 22,7 milhões de desempregados. Os EUA deverão crescer apenas 1% e, em 2012, 0,9%. Muitos brasileiros, que foram para lá em busca de vida melhor, estão de volta.
Frente à crise de um sistema econômico que aprendeu a acumular dinheiro, mas não a produzir justiça, o FMI, que padece de crônica falta de imaginação, tira da cartola a receita de sempre: ajuste fiscal, o que significa cortar gastos do governo, aumentar impostos, reduzir o crédito etc. Nada de subsídios, de aumentos de salários, de investimentos que não sejam estritamente necessários.
Resultado: o capital volátil, a montanha de dinheiro que circula pelo planeta em busca de multiplicação especulativa, deverá vir de armas e bagagens para os países emergentes. Portanto, estes que se cuidem para evitar o superaquecimento de suas economias. E, por favor, clama o FMI, não reduzam muito os juros, para não prejudicar o sistema financeiro e os rendimentos do cassino da especulação.
O fato é que a zona do euro entrou em pânico. A ponto de os governos, sem risco de serem acusados de comunismo, se prepararem para taxar as grandes fortunas. Muitos países se perguntam se não cometeram uma monumental burrada ao abrir mão de suas moedas nacionais para aderir ao euro. Olham com inveja para o Reino Unido e a Suíça, que preservam suas moedas.
A Grécia, endividada até o pescoço, o que fará? Tudo indica que a sua melhor saída será decretar moratória (afetando diretamente bancos alemães e franceses) e pular fora do euro.
Quem cair fora do euro terá de abandonar a União Europeia. E, portanto, ficar à margem do atual mercado unificado. Ora, quando os primeiros sintomas dessa deserção aparecerem, vai ser um Deus nos acuda: corrida aos saques bancários, quebra de empresas, desemprego crônico, turbas de emigrantes em busca de, sabe Deus onde, um lugar ao sol.
Nos anos 80, a Europa decretou a morte do Estado de bem-estar social. Cada um por si e Deus por ninguém. O consumismo desenfreado criou a ilusão de prosperidade perene. Agora, a bancarrota obriga governos e bancos a pôr as barbas de molho e repensar o atual modelo econômico mundial, baseado na ingênua e perversa crença da acumulação infinita.”

Entidades acusam Planalto de mudança “autoritária” em projeto contra tortura


Entidades acusam Planalto de mudança “autoritária” em projeto contra tortura
A ministra Maria do Rosário garantiu que o Comitê contra a Tortura terá maioria da sociedade civil, mas não comentou os critérios para a nomeação dos integrantes (Foto: Marcello Casal Jr. Agência Brasil)

Organizações que lutam pelo respeito aos direitos humanos emitiram críticas ao projeto de lei enviado pela Presidência da República ao Congresso criando o Comitê Nacional de Prevenção e Combate à Tortura e o Mecanismo Preventivo Nacional. A Pastoral Carcerária e a Justiça Global divulgaram nota afirmando que uma alteração feita de última hora no texto “deixou a marca de um ranço autoritário”.
Eles referem-se à previsão de que fique restrito ao gabinete da Presidência a nomeação dos integrantes do Comitê Nacional, o que, segundo as organizações, desrespeita o acordo fechado após negociações. A criação deste instrumento é prevista pelo Protocolo Facultativo à Convenção da Organização das Nações Unidas (ONU) contra a Tortura, um tratado ratificado pelo Brasil em 2007, mas foi apenas no fim de setembro que, aproveitando a visita do Subcomitê da ONU contra a Tortura, o governo enviou o texto ao Congresso.
“A sociedade civil repudia essa manobra política de última hora dada pelo Palácio do Planalto e prepara uma denúncia sobre o fato ao Subcomitê da ONU”, indica o comunicado emitido pelas duas entidades, que defendem que o acordado previa um processo de seleção “público e participativo” de integrantes do Comitê Nacional. O entendimento é de que o projeto desrespeita o que está previsto no tratado da ONU, que de fato fala em uma escolha ancorada na participação social. 
“O processo de nomeação público e participativo que estava contemplado na antiga redação do PL garantiria a independência funcional dos dois órgãos nacionais”.  Por isso, Pastoral Carcerária e Justiça Global entendem que o texto apresentado ao Legislativo não assegura a autonomia financeira dos colegiados contra a tortura, a imunidade dos membros durante o mandato e o livre acesso, sem prévio aviso, a qualquer unidade de privação de liberdade, como prisões, estabelecimentos para adolescentes, carceragens e hospitais psiquiátricos. Eles apontam que o projeto não garante que o Comitê Nacional fique livre de “apadrinhamento ou pressão política”.

Independência não será afetada

Em nota, a ministra Maria do Rosário, da Secretaria dos Direitos Humanos da Presidência da República, garantiu que o projeto não vai tolher a independência do organismo de combate à tortura. Para ela, trata-se de um instrumento inédito “dedicado exclusivamente ao enfrentamento dessa grave violação dos direitos humanos”.
O comunicado não responde, porém, à dúvida sobre a prerrogativa exclusiva da Presidência sobre a nomeação dos integrantes. A ministra ressalta a importância da medida e informa que, dos 23 membros, 11 serão representantes de órgãos do Executivo federal e 12 serão de conselhos de classe profissionais ou de organizações da sociedade civil. “O Comitê terá, portanto, maioria de representantes não-governamentais e será responsável pela indicação dos 11 peritos que formarão o Mecanismo de Prevenção e Combate à Tortura, estrutura com total independência e autonomia para a fiscalização permanente das instituições de privação de liberdade no nosso país”, indica o texto, que considera que foram observados os princípios estabelecidos pelas Nações Unidas.

BRASILEIRÃO 2011 SÉRIE B RODADA 29


São Caetano3  X  0Vila Nova07/10/2011 
20:30
1  X  2Portuguesa07/10/2011 
20:30
Goiás1  X  0Criciúma07/10/2011 
20:30
Paraná3  X  1ASA07/10/2011 
20:30
Bragantino2  X  2Vitória08/10/2011 
16:20
2  X  2Icasa08/10/2011 
16:20
Ponte Preta1  X  1Sport08/10/2011 
16:20
ABC2  X  108/10/2011 
16:20
Boa Esporte0  X  008/10/2011 
16:20
G.Barueri2  X  108/10/2011 
16:20

CRB goleia o Paysandu e assume 2ª colocação na Série C 2011

CRB X Paysandu


O CRB venceu por 3 x 0, o Paysandu, neste sábado, no Estádio Rei Pelé, em Maceió. Em jogo difícil, o Galo goleou o líder e conquistou pontos importantes rumo à Série B. Rodrigão, de cabeça, abriu o placar aos 19 minutos do primeiro tempo. O segundo gol, foi da estrela do time, Aloísio Chulapa,  aos 29 minutos do segundo tempo. O terceiro gol veio logo em seguida, aos 34 do segundo tempo. Chulapa também teve participação na jogada, mas quem marcou foi Ewerton Maradona. 
A partida foi válida pela terceira rodada da segunda fase. Com a vitória, o time alagoano está com 5 pontos e é o vice-líder. O Paysandu, mesmo perdendo, continua na liderança, com 6 pontos. Os dois times são os primeiros colocados do Grupo E, zona que dá o acesso à Série B de 2012. 
O jogo de volta será no próximo domingo, dia 16 de outubro, às 16h00, no estádio Mangueirão, em Belém-PA. 
Com a vitória o time alagoano assume a 2ª colocação do Grupo E e coloca o América em terceiro lugar.
Clssificação Grupo E:
Classificação Grupo EPJVEDGPGCS
1Paysandu Sport Clube6320134-1
2Clube de Regatas Brasil53120413
3América de Natal43111422
4Rio Branco Football Club1301215-4

Informações de Sériec.com.br

América vence o Rio Branco e segue na busca pelo acesso

América X Rio Branco
O América derrotou o Rio Branco-AC pelo placar de 3 X 0. Com a vitória o Time rubro soma 4 pontos e fica na 2 posição do Grupo E.


PRIMEIRO TEMPO 

Primeira chance do jogo foi do América, aos 5 minutos. Pingo chutou forte pro gol, mas bola saiu alta demais. 

Com 15 minutos de partida, os dois times já tinham chegado duas vezes cada um ao ataque! 

Pingo de novo. Com 19 minutos, o atacante do América chutou cruzado, mas o goleiro Rafael Córdova segurou a bola e impediu Wanderley de chegar no rebote. 

Aos 22 minutos, Mazinho cobrou escanteio para o América. Sanches subiu sozinho, mas cabeceou mal e perdeu chance de gol. 

Chance do Rio Branco. Aos 24 minutos, Testinha, em cobrança de falta, teve oportunidade de gol. O goleiro Fabiano afastou possibilidade.

No minuto seguinte, América chegou em jogada perigosa. Cruzamento de Rodrigão e cabeçada de Tiaguinho por cima do gol de Cordova. 

Quase! Aos 29 minutos, numa jogada de Mazinho, Norberto recebeu e chutou pro gol. A zaga do Rio Branco deviou a bola. 

Aos 38 minutos, Fábio Sanches aproveitou rebote da zaga do Rio Branco e chutou forte pro gol, mas Cordova fez boa defesa. Na resposta, Nata falhou e Testinha perdeu boa chance pro time acriano. 

Quase! América perdeu outra boa chance de abrir o placar aos 43 minutos. Val teve a chance de fazer, mas preferiu passar a bola para Mazinho, que chutou com perigo. 

GOOOLLLLL do América! Já no finzinho do primeiro tempo, aos 45 minutos, Mazinho chutou de canhota de fora da área e Rafael Cordova não conseguiu impedir que a bola entrasse. América 1 x 0 Rio Branco. 


SEGUNDO TEMPO 

América voltou disposto a aumentar o placar! Aos 5 minutos, Rodrigão travou e acabou atrapalhando Wanderley, que chegou a concluir, mas não marcou.

Aos 12 minutos, América teve um gol anulado. 
Aos 27 minutos, Wanderley lançou para Norberto, que chutou, mas a bola foi para fora! O América quase, quase faz o segundo gol. 

GOOOLLLL do América! Aos 41 minutos, Mazinho marcou outro gol. Após bate-rebate na área, o meia não teve dúvidas ao chutar certeiro pro gol. América 2 x 0 Rio Branco.

GOOOLLLLL do América!!! Aos 45 minutos, após lançamento rápido de Fabiano para Mazinho, que venceu marcação e passou a bola. Quem recebeu foi Nata, que não desperdiçou e fez o terceiro gol da partida. América 3 x 0 Rio Branco. 


FICHA TÉCNICA DE AMÉRICA-RN X RIO BRANCO-AC

Local: Estádio Nazarenão, Goianinha-RN
Data: 08/10/2011
Horário: 15h15min
Árbitro: Paulo César de Oliveira-SP (Fifa)
Assistentes: Thiago Gomes Brígido-CE e Kildenn Tadeu Morais de Lucena-PE

AMÉRICA-RN:
Fabiano; Fábio Sanches, Rodrigão e Mauro; Norberto, Val, Nata, Mazinho e Tiaguinho; Wanderley e Pingo.
Técnico: Flávio Araújo.

RIO BRANCO-AC:
Rafael Cordova; Pedro Balu, Rodrigão, Luciano e Ananias; Zé Marco, Ismael, Rossini e Testinha; Marcelo Brás e Juliano César.
Técnico: Everton Goiano.

O América volta a campo no próximo sábado (15) em Rio Branco onde volta a enfrentar a equipe de mesmo nome.

Lances: Sériec.com.br

Abaixo-assinado 10% do PIB para a Educação Pública Já!


Para:Governo federal


ASSINE O ABAIXO-ASSINADO E JUNTE-SE À CAMPANHA:
QUEREMOS 10% DO PIB PARA A EDUCAÇÃO PÚBLICA JÁ!


"Por que aplicar já 10% do PIB nacional na Educação Pública?"
Manifesto da Campanha Nacional

A educação é um direito fundamental, e pode ampliar a leitura de mundo e comprometer com uma sociedade justa e igualitária. Por isso, a luta dos trabalhadores na constituinte buscou assegurá-la como “direito de todos e dever do Estado”. No entanto, o Estado brasileiro não cumpre sua obrigação Constitucional. O Brasil possui mais de 14 milhões de analfabetos totais e 29,5 milhões de analfabetos funcionais (PNAD/2009/IBGE) – cerca de um quarto da população está alijada de escolarização mínima. Esses analfabetos são basicamente provenientes de famílias de trabalhadores do campo e da cidade, notadamente negros e demais segmentos hiperexplorados da sociedade. As escolas públicas – da educação básica e superior – estão sucateadas, os trabalhadores da educação sofrem inaceitável arrocho salarial e a assistência estudantil é localizada e pífia.

O Plano Nacional de Educação – Proposta da Sociedade Brasileira (1997), a partir de um diagnóstico da realidade educacional, indicou metas para a universalização do direito de todos à educação que implicavam em um investimento público da ordem de 10% do PIB nacional. Naquele momento o Congresso Nacional aprovou 7%, percentual vetado pelo governo FHC e veto mantido pelo governo Lula da Silva. Hoje o Brasil aplica menos de 5% do PIB nacional em Educação. Passados 14 anos, a proposta do governo para o novo PNE em debate no Congresso Nacional define a meta de 7% do PIB para a Educação em... 2020!

Não podemos aceitar o argumento de que não há recursos. O pagamento da dívida pública, as isenções fisciais para o setor empresarial, o recurso público usado para a copa e as olimpíadas, o dinheiro público que se perde na corrupção... Há verba, é preciso reverter as prioridades, garantindo o investimento público na implementação dos direitos sociais universais.


Junte-se à Campanha Nacional Unificada! Construa o Comitê de Campanha no seu estado, as aulas públicas do dia 15 de outubro, o Plebiscito Popular em novembro e defenda a aplicação de 10% do PIB para a Educação Pública já!

ASSINAM ESSE MANIFESTO:
ABEPSS, ANDES-SN, ANEL, CFESS, COLETIVO VAMOS À LUTA, CSP-CONLUTAS, CSP-CONLUTAS/DF, CSP-CONLUTAS/SP, DCE-UFRJ, DCE-UnB, DCE-UFF, DCE UFRGS, ENECOS, ENESSO, EXNEL, FENED, MST, MTL, MTST/DF, MUST, MOV. MULHERES EM LUTA, OPOSIÇÃO ALTERNATIVA, CSP-CONLUTAS/RN, PRODAMOINHO, SEPE/RJ, SINASEFE, SINDSPREV, SINDREDE/BH, UNIDOS PRÁ LUTAR.

Os signatários

Assine o abaixo assinado Aqui