"A liberdade de imprensa é a permissão de qualquer aleijado bater-se com um professor de esgrima." (Luís da Câmara Cascudo)

sábado, 21 de julho de 2012

Governo diz que reajustes reivindicados por servidores estão 'fora da realidade', Docentes convocam dia nacional de Lutas

O secretário de Relações de Trabalho do Ministério do Planejamento, Sérgio Mendonça, disse em entrevista concedida à Rede Brasil Atual, que os reajustes salariais reivindicados por alguns setores dos funcionários públicos federais em greve estão muito acima da inflação e são considerados “fora da realidade”.

“Não é viável uma pauta de reajuste de 35%, 40%, 50% para um país que esta com inflação de 4,5% ao ano. Uma reivindicação tão elevada é muito difícil de atender”, afirmou o secretário.

Nesta semana os decentes, em greve há mais de 60 dias, rejeitaram a proposta feita pelo governo por entenderem que só iria aprofundar a desestruturação da carreira, e que também iria impor aos docentes uma  intensificação do trabalho sem, sequer, repor a inflação do período 2010-2015.

O Comando Nacional de greve marcou par 31 de Julho  o Dia Nacional de Luta, Neste dia, as três centrais sindicais que estão apoiando a greve dos servidores ─ CSP Conlutas, CUT e CTB ─ vão convocar todas as entidades filiadas a realizarem atos públicos em defesa da pauta dos servidores.

O Dia Nacional de Luta terá como palavra de ordem “Chega de enrolação, negocia Dilma!” e terá como objetivo levar o governo a reabrir as negociações com os servidores em cima dos sete pontos da pauta geral. “Queremos que o governo efetivamente negocie com o conjunto dos servidores”, afirmou Cunha.

Os pontos da pauta geral unificada são os seguintes:

Definição da data-base (1º de maio).
Política salarial permanente com reposição inflacionária, valorização do salário base e incorporação das gratificações, o que implica num reajuste emergencial de 22,08%.
Cumprimento por parte do governo dos acordos e protocolos de intenções firmados.
Contra qualquer reforma que retire direitos dos trabalhadores.
Retirada dos PL, MP e decretos contrários aos interesses dos servidores públicos.
Paridade e integralidade entre ativos, aposentados e pensionistas.
Reajuste dos benefícios.



Marcha dos Servidores Públicos Federais



0 comentários:

Postar um comentário