"A liberdade de imprensa é a permissão de qualquer aleijado bater-se com um professor de esgrima." (Luís da Câmara Cascudo)

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

EUA: Índice de Injustiça 2013


No momento em que o primeiro presidente afro-americano inicia o seu segundo mandato, não podemos esquecer o quão longe ainda temos de ir para combater a opressão do racismo, materialismo e militarismo. Por Bill Quigley Jr.
Sem-abrigo nos Estados Unidos. Fotografia de Franco Folini
Nós como nação precisamos de passar por uma revolução radical de valores… quando máquinas e computadores, motivação para o lucro e direitos de propriedade, são considerados mais importantes que as pessoas, os trigémeos gigantes, racismo, materialismo e militarismo, são impossíveis de ser derrotados.” Martin Luther King, Jr. (MLK), 4 de Abril de 1967
No momento em que os Estados Unidos da América celebram a reeleição do primeiro presidente afro-americano e os sucessos de numerosos outros afro-americanos em várias situações da vida, permanecem desafios problemáticos.
Recordando o quão longe esta nação chegou desde os tempos em que o Dr. King ainda era vivo, não podemos esquecer o quão longe ainda temos de ir para combater a opressão do racismo, materialismo e militarismo.
Racismo
Segundo o programa CNN Money e o Gabinete de Censos, os brancos têm 22 vezes mais riqueza que os negros e 15 vezes mais que os hispânicos. O rendimento médio líquido de um agregado familiar branco foi de 110.000 dólares contra 4.900 de um agregado negro e 7.424 de um agregado latino.
Os afro-americanos representam 12,3% da população mas apenas 4,7% dos advogados.
Os latinos representam 15,8% da população mas apenas 2,8% dos advogados.
De acordo com o inquérito nacional, patrocinado pelo governo, feito a 72.000 escolas, os estudantes afro-americanos enfrentam uma disciplina mais dura, têm menos acesso a aulas do ensino secundário de qualidade e têm maior probabilidade de serem ensinados por professores com menos experiência e menos bem pagos.
13% dos brancos, 21% dos negros e 32% dos hispânicos não têm seguro de saúde, de acordo com a Kaiser Foundation.
A análise do último Censo mostra que 9% das famílias brancas vive abaixo do nível de pobreza norte-americano e 23% de negros e hispânicos vivem abaixo dos mesmos níveis.
Materialismo
Segundo o Wall Street Journal, em 2012, o presidente da Goldman Sachs recebeu um total de vencimentos no valor de 21 milhões de dólares.
Entre 1978 e 2011, o aumento salarial para trabalhadores cresceu 5,7%. Durante o mesmo período, o aumento para os diretores-executivos (CEO) foi de 725%. Em 1965, um diretor-executivo ganhava 20 vezes mais que um trabalhador. Em 2011, um diretor-executivo “ganha” mais de 200 vezes do que um trabalhador.
De acordo com o Prémio Nobel Joseph Stiglitz, 1% dos que ganham mais levaram para casa 93% do crescimento de rendimentos em 2010; ao mesmo tempo, o rendimento de um agregado médio é menor do que em 1996.
Segundo a Associação Americana de Produtos para Animais de Estimação, foram gastos de 52 mil milhões com animais domésticos. Os últimos números do Gabinete dos Censos indicam que os EUA gastam menos de 50 mil milhões/ano em ajuda não militar a países estrangeiros.
A dívida dos estudantes é agora mais elevada do que o total da dívida dos cartões de crédito e do que a dívida total de empréstimos para carros.
Mais de 2,8 milhões de crianças nos EUA vivem em lares em pobreza extrema, menos de 2 dólares por pessoa por dia antes dos benefícios sociais do governo. É o dobro do que era 15 anos atrás.
De acordo com o Censo, quase uma em seis pessoas nos EUA vive na pobreza. Um em cinco crianças vive na pobreza. A última informação mostra que 17% das crianças brancas, 32% das crianças hispânicas e 35% das crianças negras são pobres.
Militarismo
Os EUA gastaram mais na sua defesa do que qualquer outro país no mundo. Os EUA gastam mais na sua defesa do que os seguintes 10 países juntos: mais do que a China, Rússia, Reino Unido, França, Japão, Índia, Arábia Saudita, Alemanha e Brasil juntos.
O orçamento de 2013 prevê gastos de 633 mil milhões de dólares na defesa militar, sem incluir os fundos para a Administração de Veteranos (AV). A rubrica orçamental de 2013 para a AV é de 140 mil milhões de dólares. Para termo de comparação, o total de gastos federais para a Segurança Social em 2012 foi de 773 mil milhões de dólares.
Os EUA têm 737 bases militares fora do território nacional e mais de 2 milhões de pessoal militar, incluindo o Departamento da Defesa e os contratados locais.
Os EUA lideram as vendas no mercado global de armas. Em 2011, os EUA triplicaram as suas vendas para 66 mil milhões, perfazendo 75% do mercado global. A Rússia está em segundo lugar, com menos de 5 mil milhões de dólares em vendas.
45% dos 1,6 milhões de veteranos das Guerras do Iraque e do Afeganistão estão a candidatar-se a benefícios de incapacidade resultante de danos mentais e físicos sofridos em serviço.
De acordo com a Associated Press, os suicídios nos militares ativos, 349 em 2012, excederam o total de 295 mortes em combate no Afeganistão no mesmo ano.
Conclusão
Enquanto comemoramos os seus feitos e a sua inspiração, estes são os desafios que devemos enfrentar com a esperança e a coragem que o Dr. King e tantos outros nos ensinaram.
Bill Quigley é um advogado de direitos humanos, é professor na Universidade de Loyola em Nova Orleães e Director Associado do Centro para o Direitos Constitucionais. É um dos autores de “Hopeless: Barack Obama and the Politics of Illusion” (AK Press). Pode ser contactado emquigley77@gmail.com
Publicado em Counterpunch
Tradução de Sofia Gomes para o Esquerda.net

0 comentários:

Postar um comentário