"A liberdade de imprensa é a permissão de qualquer aleijado bater-se com um professor de esgrima." (Luís da Câmara Cascudo)

sábado, 5 de outubro de 2013

Desocupação do Cocó em Fortaleza

Depois de quase 3 meses de ocupação o emblemático caso de ocupação do Parque ecológico do Cocó em Fortaleza, onde, ocupantes resistem a destruição de parte do parque pelo poder público para construção de viadutos, a Polícia Militar executou a desocupação na tarde de ontem (Sexta-feira 4).

A Polícia informou que cerca de 300 homens participaram da operação de desocupação do Cocó, entre cavalaria, Batalhão de Choque, Raio e Cotam. Foto: Fábio Lima/ O POVO
Foto: O Povo

Por volta das 15h50, a ação de desocupação teve início. Policiais, muitos deles sem identificação, jogaram bombas de gás lacrimogêneo. Foram cerca de 10 minutos ininterruptos. Pessoas que estavam dentro e fora do acampamento tentaram resistir com barricadas, mas foram rapidamente expulsos do local. Houve correria para sair de perto da fumaça. Há relatos de helicópteros que sobrevoavam o local jogando bombas de gás. Um manifestante, identificado apenas como Osvaldo, foi detido pela polícia, mas logo foi liberado. Mais tarde, outro manifestante identificado como Gustavo Mineiro foi preso por tirar a roupa defronte a barreira policial.

Após a contenção da manifestação, policiais ocuparam o acampamento e fecharam as passagens para que ninguém retornasse ao local. Algumas pessoas forçaram a entrada no acampamento e deram início a um novo confronto, os policias dispersaram essas pessoas usando mais spray de pimenta e balas de borracha, além do gás lacrimogêneo.

No fim da tarde, por volta das 17h, quando os manifestantes já haviam sido expulsos do local, tratores começaram a entrar no acampamento para limpar a área e deixar espaço para o início das obras dos viadutos.


Com ADITAL

0 comentários:

Postar um comentário