"A liberdade de imprensa é a permissão de qualquer aleijado bater-se com um professor de esgrima." (Luís da Câmara Cascudo)

quarta-feira, 16 de julho de 2014

Tanta reforma penal pra nada

O que faz o Brasil passar por 155 reformas nas leis penais desde 1940, o número de assassinato de lá para cá só cresceu e ainda dizem a torto e a direito que no Brasil não tem leis?

Primeiro que isso é parte da tradição judaico-cristã da maneira de lidar com o sofrimento: encontrar um culpado. No nosso tradicionalismo decadente temos uma primeira pessoa que sempre se esconda: A culpa e dos políticos, o Brasil não vai pra frente e nos tornamos rancorosos da mudança sem mudar nada em nós mesmos.

A outra maneira de lidar com o sofrimento é a maneira trágica, resgatada por Nietzsche, do sofrimento temos que ser fortes e retirar potência. Isso passa longe da nossa depravação, gostamos de espernear, até quando um parente morre bêbado em acidente de moto se procura um culpado, nem que seja o próprio defunto.

A luta é contra esse espírito decadente, no Brasil todos querem que a lei lasque aos outros, claro, enquanto forem outros, estiverem distante. Perguntem a alguém do IBAMA que queira fazer um trabalho sério se ele não é pressionado com babões e seus vereadores para aliviar os trabalhos feitos. Vereador no Brasil é justamente para isso, servir esmolas; quando um parente é preso se diz: "procure o vereador ou o deputado tal...

A questão todo não envolve lei, poderíamos abolir a lei penal toda, se existisse trabalho de elucidação e punição eficaz não se precisaria de nenhuma lei a mais.

0 comentários:

Postar um comentário