"A liberdade de imprensa é a permissão de qualquer aleijado bater-se com um professor de esgrima." (Luís da Câmara Cascudo)

sexta-feira, 18 de março de 2016

Por que aumenta cada vez mais as tensões sociais?


por Wagner Torres

O Brasil rico para todos foi sempre uma falácia, mas o Brasil pobre cada vez mais é uma realidade a incompetência de Dilma resulta na ampliação significativa da destruição das bases tributária de renda, lucros e produção.

Considerando o acumulado de janeiro ao segundo decêndio de março de 2016 o desempenho da arrecadação do IRPF bruto foi um acréscimo de 8,72% combinada ao acréscimo das restituições do IRPF em 213,87% resultando em um aumento da arrecadação líquida de 1,63%. Destaca-se, ainda,que o governo Dilma vem confiscando a renda com uma defasagem da tabela do IRPF em 70%, ou seja, segurar as restituições do Imposto de Renda impactaram no combalido caixa do Tesouro significativamente em razão que estas são corrigidas a Taxa Selic.

Por outro lado, o desempenho da arrecadação bruta do IRPJ é uma redução de 7,19% combinada a uma redução da restituição de IRPJ de 71,01% resultando em um acréscimo líquido de 2,07%.

No que se refere as multas foi uma redução de 66,11% resultando em uma redução total do Imposto de Renda em 3,29%.

Considerando a arrecadação do IPI é uma queda de 13,29% em razão do colapso na venda de veículos.
Nesse contexto, o desastre da politica do governo Dilma se evidencia com uma destruição da base tributária dos impostos vinculados a produção, renda, lucros e consumo combinada a manutenção da farra do dinheiro público efeito da alta vinculação da receita a despesa.

Vale destacar que 3.500 municípios têm um alta dependência em relação aos repasses das transferências do Fundo de Participação dos Municípios e o Estado de Alagoas tem uma dependência estrutural de 40,65% da Receita Corrente Líquida vinculada ao FPE.

Enquanto Dilma e o Congresso Nacional brincam de governar o país entrará em um processo de convulsão social cada vez maior em razão do aumento da perda de empregos e da ausência de recursos para financiar as despesas de Educação e Saúde.

0 comentários:

Postar um comentário