"A liberdade de imprensa é a permissão de qualquer aleijado bater-se com um professor de esgrima." (Luís da Câmara Cascudo)

sexta-feira, 20 de abril de 2018

Comunicado da Secretaria Geral da OEA: Cuba: Uma transição ilegítima


"O triunfo da ditadura sobre a liberdade não se chama revolução. A sucessão presidencial da que fomos testemunhas em Cuba é uma tentativa de perpetuação de uma regime autocrático dinástico-familiar. Chama-se ditadura, enfatizou a Secretaria-Geral da OEA.

Significa décadas de falta de democracia e infração dos direitos humanos e das liberdades fundamentais.

A eleição por parte da Assembleia Nacional de Cuba de Miguel Díaz-Canel como Presidente do país acontece sem a livre expressão do povo cubano. Quando se desconhece a soberania do povo, o único fundamento da autoridade dos governantes é deslegitimado.

Em 2018, um regime que encarcera e cala os opositores e dissidentes, que eliminou a liberdade de expressão, que acumula décadas de execuções seletivas por razões políticas, não pode ser assimilado como um sistema cuja prática política é aceitável no Hemisfério.

Nosso Hemisfério deve continuar exigindo democracia, liberdades, direitos humanos, prestação de contas e levar adiante o comparecimento dos ditadores frente aos tribunais internacionais do Sistema Interamericano e da justiça internacional.

As ações do regime têm sido extremamente negativas para a estabilidade e a segurança regional, assim como vêm custando muito sangue, polarização e divisão entre os países.

O caso da Venezuela é paradigmático das ambições geopolíticas do regime cubano.

A partir da Secretaria Geral da OEA continuaremos denunciando e trabalhando por um Hemisfério livre de ditaduras.

As campanhas de mentiras e difamação que o regime cubano vem incentivando e continuará promovendo não nos afastará de acompanhar o povo cubano na busca de sua liberdade e de seu sonho de uma AMÉRICA para todos.

0 comentários:

Postar um comentário