Nós vivemos em um monturo?

Lá no sertão onde vivíamos até poucos anos, no pé da serra como gostamos de dizer, onde de manhã cata o Galo de Campina e o Concriz, se chama de Monturo ou "muturo" o local "imundo" onde se pode descartar os entulhos e, de Tapera uma casa velha abandonada, tapera significa em outros lugares do Brasil uma propriedade de terra abandonada, bem o sentido é semelhante.

Galo de Campina
Concriz

Tapera foi um ensaio escrito por Werneck Sodré par dizer que o termo poderia se empregar a situação política do Brasil, mas ou menos da seguinte maneira ilustrada com um exemplo: As obras começadas por uma gestão e abandonadas por outra. Algo como se o momento que estou no poder é meu, não vale a república ou a sociedade civil, seus interesses particularmente.

Eu gostaria de acrescentar o termo monturo para levantar a hipótese de quando uma parada de ônibus é pichada ou completamente quebrada, assim omo outros aparelhos públicos, por parte da população; ou quando quem está no poder não cumpre responsabilidades, um lugar desprezível não precisa ser tratado como se estivesse sendo visto.

Por que as adutoras de "engate rápido" que eram para serem construídas  em forma de emergência para fornecer água para cidades em colapso hídrico, veja bem emergencial de engate rápido, a seca se iniciou em 2012 e até hoje, Janeiro de 2015, ainda não estão prontas? Culpam demais o instituto da licitação, que era para ser um instrumento republicano e não burocrático, no sentido negativo, pois burocracia significa, no sentido weberiano, gestão técnica, moderna.

Se chove os riscos de epidemias de dengue são elevadíssimos, boa parte disso por hábitos nossos de não mantermos as ruas limpas, notoriamente nos bairros periféricos; dois lado poder público incompetente, população  a-pública.

Postar um comentário

0 Comentários