"A liberdade de imprensa é a permissão de qualquer aleijado bater-se com um professor de esgrima." (Luís da Câmara Cascudo)

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

A Indústria de Mega eventos desportivos

Rotineiramente países participam de disputas para organizaram granes eventos esportivos (Olimpíadas, Copa do Mundo de Futebol, principalmente), eventos como esses seguem uma rotina nas suas execuções, construção de aparelhos desportivos e toda uma mercantilização de produtos a serem consumidos, de forma que parece ser o menos importante o esporte.

Sabemos que os governos das grandes economias são parceiros de grandes grupos empresariais e eventos desse tipo são uma oportunidade sem precedentes de essas empresas obterem a realização de obras gigantes, inclusive financiadas pelo próprio poder público, quando não existem as concessões de uso. O Brasil organiza atualmente diversos eventos desportivos internacionais, já realizou este ano a Copa das Confederações, e houve a surpresa de grandes protestos em um país onde serviços públicos sempre foram precários ou inexistente, e ainda organizará o Mundial em 2014 e as olimpíadas e paraolimpíadas em 2016.

Entidades desportivas globais como o COI e a FIFA são verdadeiras corporações negociando direitos e parcerias com grandes empresas e de fato o esporte é uma faceta da Indústria de mega eventos. Aqui como em diversos outros setores o lobby fica evidente, os governos preparam as escolhas e as empreiteiras preparam os estádios, os organismos desportivos, publicizam a Coca-Cola e a Heineken. É apenas uma constatação em um mundo do capital.

0 comentários:

Postar um comentário