Teatro de bonecos: traço da cultura popular do Rio Grande do Norte

          Dentre as diversas manifestações artísticas populares norte-riograndenses, o teatro de bonecos do João Redondo" é, talvez, depois das danças folclóricas, a mais importante.
           As raízes mais remotas desse espetáculo espalham-se pela Ásia(China e Índia), de onde ele emigrou depois para a Turquia. Inicialmente, este era um brinquedo eminentemente popular, não só pela forma dos bonecos, mas igualmente pela linguagem rústica dos apresentadores.
            Quando se transferiu para a Europa, através da Turquia, o teatro de Bonecos refinou-se de tal sorte que passou a ser uma brincadeira da predileção de monarcas, sendo apresentado dentro dos palácios.
           Com a vinda dos bonecos para o Brasil, o brinquedo retornou às suas origens primitivas. O que era um teatro refinado, voltou a ser, nas mãos dos "calungueiros" o Nordeste, uma diversão da "plebe analfabeta".
            No Rio Grande do Norte, o espetáculo é apresentado por trás de um biombo de fazenda, pelo mamulengueiro que manipula os bonecos. As historinhas representadas, de curta duração, têm sempre um caráter burlesco, próprio para divertir plateias do interior.
              Um dos melhores e mais atuantes calungueiros do Rio Grande do Norte foi Chico Daniel já falecido. No entanto, há ainda vários outros que se destacam pelo seu trabalho, espalhados pro dentro do estado.

               (Adaptao de:Gurgel, Tarcísio - Introdução à cultura do Rio Grande do Norte.2003)

Postar um comentário

0 Comentários