Novas denúncias envolvem Perillo e ex-presidente da Valec com Cachoeira

Novas denúncias de envolvimento do Governador de Goiás, Marconi Perillo e o  ex-presidente da Valec ,José Francisco das Neves, o Juquinha, com o bicheiro Carlinhos Cachoeira, surgem na CPMI no Congresso.

Os senadores Pedro Taques (PDT-MT) e Randolfe Rodrigues (Psol-AP) querem a reconvocação de Perillo para que o mesmo dê mais explicações sobre as gravações feitas pela Polícia Federal, que trazem novos indícios do seu envolvimento  com Cachoeira.  São gravíssimos os fatos, o que torna inevitável a reconvocação do governador Marconi Perillo. Os elementos mostram que o governador mentiu para a CPI”, afirmou o senador Randolfe Rodrigues (PSol-AP).

Em uma das gravações divulgadas pela revista Época, Carlinhos Cachoeira e sua mulher, Andressa Mendonça, falam da casa que pertenceu ao governador Perillo, onde o contraventor foi preso em fevereiro. Parte dos parlamentares da CPMI não se convenceu das explicações dadas para a venda do imóvel. O diálogo comprovaria que a casa foi repassada a um empresário de Goiânia para esconder a relação entre Perillo, a construtora Delta e Cachoeira.


Com base em interceptações telefônicas e quebras de sigilo, a reportagem aponta que Cachoeira, uma espécie de agente da Delta, se desfez da casa com o receio de perder negócios no governo caso fosse revelada sua relação com Perillo. A mulher do contraventor, Andressa Mendonça, não queria deixar o imóvel, no qual teria gasto mais de R$ 500 mil para mobiliá-la. Mas Cachoeira a demoveu, dizendo que ela iria ganhar um “carro zerinho”.

Segundo a PF, o imóvel foi repassado para o empresário Walter Santiago, que pagou R$ 2,1 milhões pela casa. Foram R$ 1,5 milhão para Cachoeira, R$ 100 mil para Lúcio Fiúza, então assessor de Perillo, e outros R$ 500 mil ao governador, levados por Fiúza.


Requerimentos e Valec
A CPMI do Cachoeira não tem reuniões marcadas para esta semana. Novos requerimentos só devem ser votados em agosto, segundo o presidente da comissão, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB).

Na retomada dos trabalhos, junto com os pedidos de reconvocação de Marconi Perillo, mais de 200 requerimentos aguardam avaliação da comissão. Entre eles, o de convocação de José Francisco das Neves, o Juquinha, ex-presidente da Valec. Ele foi preso no começo deste mês em Goiânia, acusado de ocultação de bens, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha.

Novas denúncias apontam superfaturamento no contrato de quase R$ 600 milhões que a Valec assinou com a Delta Construções S.A. Autor do pedido de convocação, o deputado Rubens Bueno, quer que a suspeita seja apurada também fora da CPMI, na Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara.

Com Agência Câmara

Postar um comentário

0 Comentários