Sindicato dos médicos do RN realizará interdição trabalhista nos hospitais do estado

O Sindicato dos Médicos do RN iniciará na próxima semana uma interdição de setores hospitalares que não apresentam condições mínimas para o exercício profissional, nas cidades de Natal e Mossoró.

A ação que será tomada é fundamentada pela entidade  nos Boletins de Ocorrência registrados nas delegacias de polícia do estado, no mês de maio deste ano, que denunciou o desabastecimento e a falta de estrutura das unidades hospitalares do RN (Walfredo Gurgel, Giselda Trigueiro, Maria Alice, Santa Catarina e Tarcísio Maia).


Os primeiros hospitais a sofrerem interdição serão o Santa Catarina e o Tarcísio Maia, já na próxima terça-feira, 10/07. As outras unidades sofrerão a medida no decorrer da semana, são elas Walfredo Gurgel, João Machado, Giselda Trigueiro e Ruy Pereira.
O intuito da interdição é alertar o governo para que corrija emergencialmente as situações críticas, devolvendo condições para que os serviços possam ser prestados normalmente a população. 


Sinmed promoverá na próxima Terça-feira (10/07) uma entrevista coletiva onde explicará quais são as irregularidades nos serviços, apresentar os Boletins de Ocorrência já realizados (e anunciar os próximos), além de firmar quais serão as próximas unidades de saúde, e os setores, que sofrerão interdição trabalhista (e a motivação). A entrevista estava mancara para acontecer amanhã, mas foi adiada devido aos novos acontecimentos na área da saúde no estado, a diretoria do Sinmed realizará uma nova reunião com os setores envolvidos na segunda-feira e anunciará os desdobramentos da reunião na coletiva.


Um dia antes, na segunda-feira (09/07) haverá uma assembleia geral, onde, será discutido o descaso do governo com a categoria, que até agora não respondeu a contento as reivindicações dos médicos, além de tratar sobre a interdição trabalhista que será realizada nas unidades de saúde do RN e o decreto do governo de calamidade na saúde pública no estado.
Com Informações do Portal do SINMED

Postar um comentário

0 Comentários