Educação pra quem? - No Rio Grande do Norte 1.502.312 não têm instrução

De acordo com o censo 2010 do IBGE o estado do Rio Grande do Norte tem  965.313 pessoas sem nenhum rendimento o que corresponde a quase metade da população que é de 3.168.027. Essa população torna-se extremamente vulnerável à toda sorte de manipulação, é a sustentação política das elites locais além de ser afetada diretamente pela violência.

O Censo mostra também que 1.011.882 pessoas sobrevivem com apenas 1 salário mínimo, sendo que boa parte dessa população recebe este salário ao se aposentar como agricultor, ou seja, apenas recebem o primeiro  salário da vida na terceira idade.

Na contramão desta realidade, 11.752 pessoas recebem acima de 20 salários, aí estão os vampiros da Assembleia Legislativa e do palácio do governo.

Não é difícil de apontar a causa que leva a esta situação de pobreza material e intelectual, no Rio Grande do Norte  1.502.312 pessoas estão enquadradas no levantamento sobre educação no grupo dos sem instrução ou com ensino fundamental incompleto; e 410.111 com fundamental completo e ensino médio incompleto, ou seja, praticamente 2/3 da população com um nível de instrução precário, já que mesmos os que completam o ensino médio ficam na condição de analfabetos funcionais devido a precariedade do ensino; a função do magistério não atrai, pelo contrário, na própria sala de aula os professores recomendam aos alunos para não seguirem a carreira, o que é absurdo deviam convidá-los a fazer a revolução, sistema curricular atrasado, enfim uma série de atrasos que não permitem que a educação modifiquem a sociedade, ela chega como obrigação para o governo e não como a prioridade.

O Fato de o estado sempre ter sido governado por oligarquias é crucial para o atraso na educação, com educação essas elites perderiam seu curral eleitoral.

Postar um comentário

0 Comentários