Manifesto pela humanidade

O Brasil foi uma invenção das e para as elites, vivendo a todo tempo em cima da miséria de muitos, um "monumento de injustiça social", como disse Hobsbawn. Todo o aparato propagandístico da elite nacional, desde o catolicismo, uma arma pelo conformismo com as injustiças, à mídia e toda a chamada "Indústria Cultural" de massas, hoje com um poderoso papel na mistificação e domínio ideológico das massas, capaz de fazer o povo ir às ruas mas não defender sua grande luta.

Qual partido com uma alternativa  a essa sociedade fetichizada em espetáculos e distanciamento da humanidade em essência, sociedade inviável, não é tachado de radical e ademocrático?

Já é tempo de se expor abertamente e enfrentar essa mistificação da Indústria Cultural, defender uma visão de mundo capaz de por à vista de todos a inútil dominação que recai sobre a maioria dos homens. Sem uma revolução o Brasil, esse mundo que chega ao século XXI é inviável. Não há um Estado de Direito porque se nega um Estado de Humanidade. No Brasil a dominação pelo elitismo sem cara, que não precisa que o identifique porque ele é uma ideia sem ideia, pondo-se do seu lado segue-se sua cartilha porque o país foi inventado e poucos o fizeram, é a hora de refazê-lo por completo. Quantos projetos de heróis não fizeram o mesmo que seus antigos demônios?

Uma sociedade universal líquida, consumista, mistificada pela "Indústria Cultural", especializada na exclusão e capaz até de segregar os homens daquilo que lhes é próprio: sua humanidade.

Não é tempo de tentar "fortalecer" o Estado porque ele não existe, é apenas um disfarce, é preciso expropriar o poder e fazer uma criação sem privilégios de classe.

A sociedade na qual vivemos é antihumana, não se pode mais assistir tanto noticiário policial condenando homens como qualquer outro e que matam, roubam, acabam outras vidas, mas primeiro acabaram as suas.

As periferias de todas as cidades são produções da injustiça social, são lixo para as elites e precisam ser os primeiros na luta contra o "Estado" de fachada nacional.

Os olhos de "caridade" que sentem "pena" dos malvestidos e medo dos perigosos delinquentes são olhos de uma sociedade inviável.

Os que roubam e matam perderam sua humanidade para a propriedade privada.

Não há viabilidade, a vida aqui não é vida, é um esforço para "pensar" que se vive. Que as classes dominantes tremam diante de uma revolução comunista. A maioria não têm nada a perder, além de seus grilhões. Conquistemos a humanidade!

É a hora de uma ação internacional para enterrar o capitalismo, que não haja competição entre Estados, todas as nações serão humanistas e internacionalistas, a África foi quem mais sofre com o "desenvolvimento do Capitalismo, precisa ser restituída; conduzidos por uma liga de nações todos os povos sem sobreposições ou disputas por lucros.

Postar um comentário

0 Comentários