O Fator Religião

"A religião é o ópio do povo" (Karl Marx)

Quando se refere à religião neste trecho da Introdução à Crítica da Filosofia do Direito de Hegel, muito certamente Marx não se referia a esta ou àquela religião em si e, sim ao Fator Religião, esse que nos fecha nos valores e nos faz escravos. Adoração, fechamento e absolutismo são suas marcas.

Se você pode ser preso por queimar a Bandeira nacional isso parece ser a religião nacionalista, quando se sacraliza a Constituição isso parece ser religião; a minha religião é a palavra de Deus a do outro é mera invenção humana, essa frase representa o absolutismo e o fechamento no perigoso Fator Religião. O próprio Estado Nacional dito laico assume em si um caráter religioso, os juízes com togas, só se poder usar traje passeio completo nas Casas Legislativas, enfim.

Por outro lado pode ser mais perigoso no plano do fechamento ideológico, nos ismos intolerantes, quando se diz que o que o outro representa é negativo pode-se absolutizar a indiferença, ora, queremos mudança, no entanto se seguirmos o fator religião bastará que mude o lado e faremos tudo ou pior do que aqueles faziam antes.

O próprio Marx que disse que se marxismo existisse não seria marxista ganhou esse isso fatorreligioso e que já impregnou muitos de intolerância, como nas perseguições religiosas na União Soviética.

Para Marx quando não precisasse mais ser escravo de valores o Homem sairia de sua pré-história onde ele não sabe o que é.

Postar um comentário

0 Comentários