Endividamento rural discutido em audiência pública na AL-RN

A pouco fora realizada uma audiência pública para discutir a situação de endividamento dos produtores rurais do Rio Grande do Norte na Assembleia Legislativa do estado, um setor importante da economia do RN e na ocasião aconteceram situações que chamaram a atenção.

Primeiro o endividamento e as possibilidades de perdas de terras em decorrência da execução de dívidas junto ao Banco do Norte, diversos agricultores presentes lamentaram a forma como as dívidas vem sendo cobradas e os elevados juros praticados pelo banco, lembrando da seca, das dificuldades de manter o rebanho vivo. Reclamara-se bastante da falta de subsídios.

Não se pode negar a penúria dos agricultores, principalmente os de pequena propriedade. Mas fiquei atento na linguagem dos produtores, uns lamentavam por serem pequenos, se fossem grandes algo não lhes ocorreria, ora em uma República todos são do mesmo tamanho; coisas da brasilidade. Outro fazia questão de ressaltar que não queria bater de frente com ninguém, poderia ficar pior...

Voltando para a questão agrária: Um agricultor levantou a questão da compra e industrialização de laticínios, aí sim uma política que seria adequada, talvez até com o modelo de cooperativa, financiado com baixos juros e dando a oportunidade de comércio certo do leite. Direcionamento para produção de caprinos e outras espécies mais resistentes ao semi-árido. Programas mai práticos do que a a açudagem para armazenamento de água. Cultivo em pequena escala com irrigação de hortaliças. Isso além de propiciar a melhora na vida dos que já vivem da agricultura e pecuária, em expandindo-se, pode levar a ocorrência de oportunidades de trabalho no campo evitando concentração urbana.


Postar um comentário

0 Comentários