Açudes do DNOCS no Rio Grande do Norte estão em situação crítica

[?]

Cinco dos principais reservatórios de água (açudes) administrados pelo DNOCS no Rio Grande do Norte encontram-se em situação crítica ou, simplesmente, sem água. Dados de ontem, 22/12, divulgados pelo setor de monitoramento da instituição, através do engenheiro Aldo José, registram as seguintes situações: açude Armando Ribeiro Gonçalves – maior reservatório e responsável pelo abastecimento de muitos municípios do norte e oeste potiguares – cuja capacidade de armazenamento é de 2,4 bilhões de m³, encontra-se com 499,5 milhões, ou 20,8% de sua capacidade.

Outros quatro reservatórios, que também são fontes hídricas para projetos de irrigação, estão, praticamente, secos. São os casos do Itans (81.750.000m³), estando no momento com 885.000m³ ou 1,08% de capacidade; Sabugi (65.335.000m³), com 3.217.000m³ ou 4,92%; Pau dos Ferros (55.881.000m³), com 17.000m³ ou 0,03% e Gargalheira (44.421.000m³), com 13.000m³ ou 0,03% de capacidade. Para se ter uma ideia da beleza de suas águas, quando cheios, veja situação do Gargalheira e Itans nas fotos ao lado.

De acordo com previsões do INPE e do INMET, para o período de janeiro a março de 2016, a região Nordeste terá maior probabilidade de chuva na categoria abaixo da faixa normal climatológica, com variações entre 25 a 40 por cento da média chuvosa. Esses dados são preocupantes tendo em vista a situação atual em que se encontram os reservatórios nordestinos. 


Do portal do Dnocs

Postar um comentário

0 Comentários