Após STF negar extradição de Battisti, Itália ameaça levar o caso para o tribunal de Haia

           Após a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de recusar a reclamação da Itália e libertar Cesare Battisti, o governo do país europeu ameaça levar o caso à Corte Internacional de Justiça de Haia, na Holanda. 
       Battisti chegou ao Brasil em 2004 e, um ano seguinte ganhou a condição de refugiado. Em 2007 foi preso com passaporte falso. Ele nega sofrer perseguições na Itália. No dia 31 do ano passado, último dia do mandato do ex-presidente Lula, que recebeu do STF a missão de resolver se Cesari Battisti seria ou não estraditado para a Itália, Lula decidiu não extraditá-lo.
        Agora após esse novo julgamento e mais uma vez ter sido negada a extradição a Itália ameaça levar o caso para o Tribunal Internacional de Haia na Holanda.
          O primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, afirmou nesta quinta-feira (9) que a decisão "fere o nosso senso de Justiça" e "não temos outra possibilidade senão recorrer a Haia". O ministro da Justiça, Angelino Alfano, afirmou, em nota, que a avaliação feita pelo STF "é um verdadeiro ataque aos princípios de soberania do Estado italiano, pois coloca em dúvida a capacidade de suas altas instituições democráticas, que são ponto de referência na Europa e em outros lugares". Ele reafirmou que o Estado italiano considera Battisti um assassino. O presidente da Itália, Giorgio Napolitano, também declarou que apoia a ideia de levar o caso a tribunais internacionais.

Postar um comentário

0 Comentários