Ministro Eduardo Cardozo defende aprovação da Comissão da Verdade


jose-eduardo-cardoso-3_1
O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, disse nesta quarta-feira que confia na aprovação do projeto de lei que cria a Comissão da Verdade (PL 7.376/10). O projeto está na Câmara dos Deputados, mas enfrenta dificuldades para entrar na pauta de votações. Para o ministro, a Comissão da Verdade "vai trazer a reparação da verdade histórica" para que as pessoas possam conhecer os fatos ocorridos no período da ditadura militar.
As declarações do ministro foram feitas durante a comemoração dos dez anos da Comissão de Anistia. A comissão reabilitou os direitos civis de mais de 36 mil pessoas perseguidas pelo regime de exceção.
Cardozo aproveitou a comemoração para pedir desculpas públicas, em nome do Estado brasileiro, aos perseguidos pela ditadura. "Peço perdão ao povo brasileiro e àqueles que sofreram e foram anistiados. Que nunca mais possamos viver dias como aqueles", disse.
O ex-ministro da Justiça José Gregori também defendeu a necessidade de aprovar a Comissão da Verdade no Congresso. "O projeto da Comissão da Verdade se encaixa nessa corrente pela anistia no Brasil, que foi um dos alicerces da nossa democracia. Não há nenhuma razão para que a Câmara e o Senado deixem de homologar a comissão ainda este ano", afirmou.
"Com a instalação da comissão, esperamos conseguir informações sobre os restos mortais dos desaparecidos políticos e que possamos mostrar como funcionou o período ditatorial, como funcionou o monitoramento da vida das pessoas", disse o presidente da Comissão de Anistia, Paulo Abrão.
As informações são da Agência Brasil

Postar um comentário

0 Comentários