Correios entram em greve nacional por condições de trabalho e salários



Correios entram em greve nacional por condições de trabalho e salários
Foto: Agência Brasil
Os trabalhadores da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) em todo o País entraram em greve por prazo indeterminado nessa quarta-feira (14). Os funcionários de 24 estados e 34 dos 35 sindicatos da categoria no país aderiram à paralisação, segundo a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios, Telégrafos e Similares (Fentect) - a exceção, até as 10h da manhã, eram os trabalhadores de Uberaba-MG.

A categoria apresentou contraproposta aos Correios nesta terça-feira (13), por um reajuste equivalente à inflação (6,87%), abono salarial de R$ 800, reajuste linear de R$ 50 a partir de junho, vale-alimentação de R$ 25, além da contratação de 21 mil trabalhadores em todo o país. Eles reivindicam também um aumento salarial em R$ 400 e o pagamento de perdas salariais referentes aos anos 1994 e 2002.

A Fentect alegou, numa representação enviada aos Correios, que "a negociação foi frustrada, tendo em vista que, apesar das inúmeras tentativas para fechamento do acordo, a postura da ECT sempre foi de rejeição às propostas apresentadas pelos trabalhadores, não nos restando outra alternativa senão a deflagração da greve". A nota acrescenta que a categoria continua aberta à negociação.

Assembleias organizadas pelos sindicatos devem acontecer às 15h desta quarta para definir os rumos da paralisação.

Postar um comentário

0 Comentários