Deveríamos carregar no peito a nota 3,7, diz Senador ao comentar resultado do IDEB

O Senador Cristovam Buarque (PDT-DF), fez um depoimento na Tribuna do Senado, na tarde de ontem (Quinta-feira 16), onde, mostrou-se preocupado com os resultados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) 2011.

De 0 a 10, a média das escolas foi de 5 nos primeiros anos do ensino fundamental, de 4,1 nos anos finais do ensino fundamental e de 3,7 no ensino médio.

A avaliação leva em conta a nota dos estudantes e os índices de aprovação.
— Nós estamos sendo reprovados, os senadores, os deputados, os ministros, os governantes, os presidentes.

É a nossa reprovação, é a nossa nota. Nós deveríamos carregar no peito a nota 3,7.

Para o senador, a estagnação da educação no Brasil significa, na verdade, uma regressão para o país, que está ficando para trás em relação ao resto do mundo.

Cristovam ressaltou o fato de as escolas públicas federais apresentarem, na média, notas melhores que as das escolas particulares. Para ele, os números mostram a necessidade de as escolas públicas serem federalizadas.

A proposta faz parte de um plano que vem sendo defendido pelo senador e que prevê salários de R$ 9 mil para os professores. Eles teriam, no entanto, que cumprir horário integral e passar por uma avaliação anual.

— Eu nem digo que se aceite [a proposta], porque é a ideia de um senador, mas que se debata com rigor essa possibilidade. Da parte do governo federal, não há o menor interesse em debater esse assunto. Entreguei essa proposta à presidenta Dilma faz mais de um ano.

Com Jornal do Senado

Postar um comentário

0 Comentários