Ecologia da ação

"Conhecer é também uma estratégia, que pode se modificar em relação ao programa inicial, que é flexível e leva em conta o que chamo de ecologia da ação. Sabe-se hoje que uma ação, lançada ao mundo, entra num turbilhão de interações e retroações, que podem se voltar contra a intenção inicial". (Edgar Morin)

Já imaginou querer a paz mundial e fomentar a guerra, ou então, descobrir a fissão dos átomos e produzir a bomba atômica exterminando milhões de vidas? Por isso entende Edgar Morin como a ecologia da ação, para ele as ideias lançadas no Mundo ganham vida própria e o que o autor pretendia dizer pode tomar-sr por seu lado averso e gerar consequências desastrosas.

O problema se relaciona ao "fechamento ético", ao seguidorismo, à incapacidade de autocrítica. Tem sido assim na História da Humanidade, uma ética universal lançada se fecha, cega e provoca perseguições. Certamente há como divergir no plano das ideias sem reduzir o outro a suas ideias, sem divergência estagnaríamos, no entanto, divergir não significa se fechar e quando proporem uma ideia nos fechamos na "self deception", quando mentimos para nós mesmo para comprovarmos a verdade do que havíamos defendido.

A educação do futuro deve ensinar que até o conhecimento precisa de explicação, o que é o conhecimento?

Postar um comentário

0 Comentários