Milhares marcham em Washington contra espionagem da NSA

"Parem com a espionagem em massa", "Desliguem o Big Brother", exigiram os cerca de 4500 manifestantes, que entregaram às autoridades norte americanas uma petição com mais de 575 mil assinaturas, na qual se reivindica o controlo das atividades de vigilância promovidas pela Agência de Segurança Nacional (NSA).

Esquerda.net

A iniciativa foi convocada pela coligação “Stop Watching Us”, que reúne cerca de 100 organizações civis, entre as quais a Free Press, Occupy Wall Street NYC, American Civil Liberties Union e a Electronic Frontier Foundation, e contou com a participação de muitos jovens na faixa dos 20 anos.

Os manifestantes percorreram as ruas da capital dos Estados Unidos até ao Capitólio, sede do Congresso norte-americano, ostentando cartazes onde se podia ler "parem de nos espiar" e gritaram palavras de ordem como "Parem com a espionagem em massa" ou "Desliguem o Big Brother".

O presidente do grupo  Free Press afirmou que "não é sobre direita e esquerda, é sobre o que é de direito e o que está errado". Já Trevor Tim, representante de um grupo de defesa dos direitos eletrónicos, lembrou que esta foi a primeira vez, desde que despontou o escândalo da NSA, que os norte americanos se uniram em defesa da sua privacidade. "A opinião pública mudou completamente no que diz respeito à questão da NSA e da privacidade", frisou.

Doze anos após a adoção da Patriot Act, as cerca de 4.500 pessoas presentes no protesto entregaram às autoridades norte americanas um abaixo-assinado com mais de 575 mil assinaturas recolhidas on-line, no qual é exigido que os congressistas revelem "a amplitude dos programas da NSA".

"Estamos a pedir ao Congresso que tome medidas imediatas para deter essa vigilância e revelar publicamente a verdadeira amplitude dos programas de recolha de dados da NSA e do FBI", avança a coligação “Stop Watching Us” numa carta endereçada aos membros do Congresso publicada on-line, na qual apela a uma reforma da Patriot Act.

"Hoje em dia, nenhuma chamada telefónica acontece nos Estados Unidos sem que a NSA a tenha registado. Hoje em dia, nenhuma transação de Internet entra ou sai dos Estados Unidos sem passar pelas mãos da NSA. Os nossos representantes no Congresso dizem que não se trata de vigilância. Eles estão errados", avançou Edward Snowden, numa mensagem de apoio à iniciativa publicada na quinta feira.

Postar um comentário

0 Comentários