No noticiário policial só presta quando é urgente

Toca a "música" de Aviões do Forró, uma sirene de polícia interrompe a transmissão, um repórter em nome da urgência e da informação entra no ar e noticia: três crimes, estupro, um esfaqueamento e um acidente horrendo de trânsito. 

Abram os blogs, corpos pelo chão, latarias aos farrapos, policiais colocando sujeito na viatura. Tudo isso é urgente.

"Não queríamos noticiar esse tipo de fato, mas infelizmente somos obrigados" diz o apresentador. Por quem? E por que a urgência? Basta pensar nossa relação com o fatal, o bárbaro.


Postar um comentário

0 Comentários