O Voto dos emborcados

Ora, vamos recriar este semi-árido, estender as iniciativas já desenvolvidas pela articulação do semi-árido, financiar grupos de estudos sobre possibilidades de agro-extrativismo com plantas da região, acumular mais água da chuva, enfim, tanta coisa pra fazer. É mas não vai da forma que devia ir, se se abre um poço ocorre até missa, como se fosse uma esmola, o estrago do catolicismo cultural foi grande.

Os políticos são secundários, a sociedade constituída é que é muito fraca, emborcada, e não trata aqui de cuspir rancor como fazem muitos "patriotas", pelo contrário, a chamada elite é muito mais moralista do que o resto da população.

O Cristianismo cultural faz do sujeito um emborcado. O sujeito quer vender voto por uma carteira de habilitação e se alguém rechaça ele se passa de coitado; a escola é quem tem o poder de suprimir a presença do catolicismo cultural na sociedade, tornar a ideia de progresso social mais forte; mas ela não cumpre esse papel.

Os tais políticos logo se tornam repletos d "babões" (Um fraco) e a divisão bacuraus-bicudos saiu das fazendas, e os seguidores queriam esmolas. Essa divisão adentra no espírito da sociedade que forma o sujeito e somente sai no atuar.

Não existe educação para a política, por que instituíram a política antes que a política existisse, é por isso que uma simples praça construída precisa ser inaugurada e rende votos, enquanto a cidade permanece morta

Postar um comentário

0 Comentários