A destruição dos Budas gigantes pelo Talibã - cegueira x cegueira

Quem tem adoração pelo patrimônio histórico e cultural da humanidade lembra com muita dor e tristeza a destruição dos Budas Gigantes pelos fundamentalistas do Talibã em 2001. Os  Budas de Bamiyan estavam localizados no Afeganistão, na chamada Rota da Seda, era a marca deixada pelo Reino da Báctria, dos séculos I a XIII, nomeadamente da corrente Gandara da arte budista. Se pode dizer que seria esta uma intolerância do islã, mas não é bem assim.


Antes (Esquerda) e Depois (Direita) da destruição

Os  budas são mais antigos do que o próprio islã, datado da século VII da era cristã. e viram o emergir da religião e conviveu com a mesma por mais de mil anos, para em segundos serem feitas escombros e memórias pelo fundamentalismo que nasce em todas as culturas, fruto da cegueira do conhecimento absoluto.

Vídeo: Budas Gigantes destruídos pelo Talibã em 2001 no Afeganistão:


Da mesma forma que os cristãos europeus destruíram a imagens dos ídolos Incas, Aztecas e Maias, caíram esses monumentos da história. A própria humanidade considera ela mesma como possuída pelo erro. Imaginemos o que passava pelas mentas dos destruidores no momento do ato.

Não tratemos o islã como fundamentalismo, é uma imagem cega, o islã tem o mesmo valor que todas as outras culturas na terra. O segredo em direção à consciência planetária passa por saber enxergar o melhor de cada cultura.

Postar um comentário

1 Comentários