Putin: Ocidente é um império e quer ter-nos como vassalos

Rússia, economia, política, crise, finanças, Vladimir Putin, imprensa, EUA, Ocidente
Foto: RIA Novosti/Mihail Klimentiev

Em coletiva de imprensa iniciada às 7:00 pelo horário de Brasília (12 hora de Moscou) o presidente Russo Vladimir Putin falou por mais de três horas a respeito dos principais assuntos que envolvem a Rússia no omento, principalmente economia e relações internacionais.

A queda no preço do petróleo tem provocado uma grave crise na economia do país que viu a desvalorização de sua moeda e teve que elevar a taxa de juros em 6,5% de uma única vez, passando de 10,5 para 17%; o país ainda pôs à venda suas reservas de dólares como forma de conter a desvalorização  do rublo. Putin ressaltou que o país sairá da crise e colocou o prazo de dois anos como data máxima.

Vladimir Putin fez severas críticas ao Ocidente dizendo que o Ocidente se vê como um império e que fazer de todo o resto seus vassalos: “O sistema de defesa antimíssil junto das nossas fronteiras não será um muro? Ninguém parou. É nisso que consiste o maior problema das relações internacionais do dia de hoje – os nossos parceiros não pararam, acharam que eles são vencedores, que eles são agora um império e que tudo o resto são vassalos nos quais se deve exercer mais pressão”, disse Putin.

“É nisso que consiste o problema – não pararam de construir muros apesar de todas as nossas tentativas e gestos de trabalhar em conjunto sem quaisquer linhas divisórias na Europa e no mundo em geral”, acrescentou o presidente.

A crise na Ucrânia levou o país a sofrer sanções aplicadas por Estados Unidos e União europeia que estão provocando a crise econômica do país; a Rússia busca fortalecer laços econômicos com outras nações e regiões, inclusive a América do Sul. Putin falou d necessidade de fortalecer relações, por exemplo com o Irã, inclusive no tema energia atômica. A Rússia tem fortalecido suas vendas de armamento sofisticado, ampliado seu exército; esquenta a Guerra Fria no momento em um símbolo, a relação EUA-Cuba, parece esfriar.

Hoje a União europeia aprovou novas sanções contra a Crimeia anexada à Rússia devido aos problemas na Ucrância; a anexação foi feita apôs plebiscito realizado na península.

Postar um comentário

0 Comentários