A falácia da PEC do teto do gasto público e o agravamento do cenário de depressão econômica em 2017

por Wagner Torres

A entrevista da economista e especialista em Finanças Públicas, Selene Peres Peres Nunes, para a Globo News mostra como realmente funciona o sistema de privilégios a elite do funcionalismo público, ou seja, em cenário de agravamento da destruição da base tributária dos impostos vinculados a renda, consumo, lucros, faturamento, serviços o governo Temer concede benefícios com impacto de R$ 11 bilhões no orçamento.
O melhor é dar bônus aos Auditores Fiscais de R$ 7.500,00 sem impacto na contribuição da Previdência Social e fazer propaganda gastando milhões de reais convencendo a população da necessidade da Reforma da Previdência no sentido de garantir a sustentabilidade do equilíbrio intertemporal das contas públicas. Ou seja, a Reforma da Previdência do setor público é urgente em razão dos elevados déficits e o governo Temer cria benefícios para a elite do servidor público.
Assim, o Governo Temer ignora o atual cenário de depressão econômica, o qual resultou na perda de 3,136 milhões empregos de set. 2014 a nov. 2016 e ao invés de investir R$ 11 bilhões em infraestrutura e que poderia gerar impacto de R$ 25 bilhões de renda e milhares de empregos. Entretanto o governo Temer conseguiu aprovar a PEC do teto do gasto público e ao mesmo tempo a ampliação da farra do dinheiro público, ou seja, muda governo e continuamos sendo os otários financiando a baderna da política fiscal, a qual destrói riqueza e empregos. E o pior é depois questionar qual a razão dos rentistas se beneficiarem com o sistema de financiamento de corrupção da dívida pública ?

Postar um comentário

0 Comentários