A Culpa é do Brasil! E o que é o Brasil?

Viram a frase do advogado Mario de Oliveira dizendo que propina no Brasil é tão comum quanto a chuva cair do céu: "Se o empresário não fizer, não saem obras no país".

Esse tipo de defesa é tão comum quanto a afirmativa do advogado, sabendo que fez o delito o sujeito apela para comparações com os demais, se eles fazem posso fazer também, é o princípio pelo qual aquilo que é feito de forma rotineira, mesmo que criminoso, se torna "legal". Há uma comparação disso com os costumes, só que aqui não se trata de costume que se queira tornar lei positiva, e sim uma mera forma de driblar as leis, todos sabem que se trata de prática criminosa, a tentativa é trapacear mesmo, por isso não serve o argumento.

Relativiza a corrupção, portanto, para que se pense em tornar repugnante esse tipo de conduta não se pode ceder a esse tipo de argumento, é preciso que se diga: aos que fizeram serão comparáveis no mesmo patamar da irregularidade. Aí você relativiza pelo avesso e passa a dizer: qualquer um que fizer tal conduta é passível de ser punido.

Sempre que se mostra para alguém no Brasil que uma conduta é qualificada como corrupta ele dirá que isso é feito por todos e em todos  os lugares, se eu não fizer estarei sendo um Mané. Ninguém toma a iniciativa de cortar por que quer, simplesmente, fazer o que os outros fazem e se assim não proceder fica para trás.

"No Brasil é assim mesmo", a culpa é do Brasil que é um negócio longe e sem futuro, e não eu, que apenas faço o que todos fazem.

Postar um comentário

0 Comentários