Brasil necessita usar lei militar contra chefes de facções criminosas

Resultado de imagem para facções criminosasNós no Brasil vivemos de abstrações. Como disse Joaquim Nabuco há mais de um século, nossas leis são feitas para gerações futuras, baseadas em teorias gerais e não nos fatos da cotidianidade. Que medidas são tomadas diante da falência penal do país? Há anos todos sabemos que as saídas prisionais de feriados, por exemplo, não funcionam, sabemos que as facções criminosas tomaram conta dos presídios, tanto sabemos que volta e meia os criminosos se rebelam e causam terror em capitais e estados inteiros, como ocorreu mais de uma vez no RN nos últimos anos.

Vamos apostar na educação, assim os grandes traficantes se tornarão filósofos. Ora, facção criminosa atenta contra a autoridade do Estado, mesmo sendo ela inexistente. No Estado Militar implantado com o Golpe de 1964 passamos a ter uma ordem autoritária centralizada na União, utilizando-se do poder arbitrário das Forças Armadas, fratura imensa na República, ditaduras causam mal-estar em qualquer nação onde ocorrem, hoje quando passo diante das escolas e até de Universidades Federais, não vejo nunca a bandeira do Brasil, os desfiles cívicos de 7 de setembro "pegaram", talvez por possuírem algum carnaval, a bandeira só aparece em Copa do Mundo. A tirania militar era histérica como qualquer ditadura, praticava uma exaltação dos símbolos nacionais e se gabava exageradamente da grandeza nacional; resultado, a bandeira foi esquecida e o país virou motivo de piada.

Do autoritarismo mergulhamos na falta de autoridade, as escolas perderam a disciplina, a incapacidade administrativa dos governos estaduais e federal se uniram ao descrédito com os dirigentes e o poder do Estado virou motivo de chacota. As facções passaram a ter poder e disseminaram a criminalidade no território nacional aproveitando-se de uma gente jovem do sexo masculino sem nada na cabeça e nos deixaram paranoicos com medo de andar a pé ou ir a uma praça. Para resgatar a ordem sem ser pelo autoritarismo precisamos de lideranças políticas de capacidade intelectual e com honestidade, o Estado precisa utilizar os recursos de maneira  eficaz e com direcionamentos especificados, não adianta gastar o que não tem e fazer inúmeros serviços a meia boca.

O Estado precisa resolver o problema do tráfico, para isso necessita encerrar com a força das facções criminosas militarizando o assunto. Facção afronta a autoridade do Estado Nacional, não é necessário instituir a pena de morte civil, basta apenas tratar  de forma militar o facciosismo. Lideranças de facções criminosas, hoje, presas em caros presídios federais que são inúteis, traficantes pagam inúmeros advogados com dinheiro criminoso e controlam o crime desses recintos prisionais. Chefe de facção, pela ordem nacional, deve ser executado por lei militar, é uma questão real e essencial para o reerguimento da ordem nacional.

Luiz Rodrigues

Postar um comentário

0 Comentários